Fase 1, 2 e Apartamento de Reinserção

Fase 1 (Farol I)

Objetivo:

• Contribuir para que os pacientes alcancem um estado livre de álcool e de drogas e para a manutenção desse padrão de vida;
• Acelerar o processo de abstinência;
• Contribuir para o desenvolvimento de um processo de mudanças pessoais necessário à manutenção da recuperação;
• Apoio à família durante e depois do tratamento;
• Grupo de apoio semanal até seis meses após tratamento.

Duração

O programa de tratamento do Farol terá uma duração de catorze semanas.
Caso a Equipa Terapêutica considere necessário poderá propor ao paciente uma 2ª Fase no Farol II (três a seis meses).

O Modelo de Tratamento

Trata-se de um modelo integrador baseado na abstinência total, grupos de autoajuda e no reconhecimento da dependência como uma doença.
Uma equipa multidisciplinar baseia-se nos seguintes elementos:
• Terapia de facilitação dos 12 passos/Modelo Minnesota;
• Terapia cognitiva-comportamental;
• Terapia motivacional;
• Terapia da realidade;
• Terapia de grupo – modelo interpessoal Irving Yalom;
• Terapia individual;
• Terapia pela arte;
• Treino de assertividade e aptidões sociais;
• Aconselhamento familiar;
• Terapia familiar.

Fase 2 (Farol II)

Objetivo:

Na sua essência, permite algum tempo para testar aquilo que foi aprendido numa primeira fase de Tratamento e utilizar os instrumentos adquiridos dentro de um sistema de apoio estruturado e concebido de forma a que nada de fundamental seja alterado no decorrer do processo de integração.
• Aprender a desfrutar a vida sem drogas e álcool;
• Lidar com situações de stress;
• Fazer planos e a estruturar os dias;
• Cometer erros e aprender com eles;
• Confiança, honestidade e assertividade – desenvolver estas aptidões;
• Ser um membro de uma “família”;
• Tomar responsabilidade por si mesmos e aumentar a confiança e autoestima.

Duração:

O programa de tratamento do Farol II terá uma duração máxima de três a seis meses.

3) Apartamento de Reinserção

O Apartamento de Reinserção é um espaço de transição entre a Comunidade Terapêutica e o contexto social de cada indivíduo. O objetivo é facilitar o processo de reintegração ao nível afetivo, social e profissional dos residentes que tenham concluído tratamento em Comunidade Terapêutica.

• Aprender a desfrutar a vida sem álcool nem drogas;
• Ser um membro de uma “família”;
• Tomar consciência da gestão quotidiana;
• Tomar a responsabilidade por si mesmos e aumentar a confiança e autoestima.

Destinatários

A admissão a este Apartamento de Reinserção, obedece a critérios específicos:
– Ter concluído um programa de tratamento em Comunidade Terapêutica (aceitamos utentes provenientes de outras Comunidades, mesmo que o modelo terapêutico não seja o mesmo);
– Aceitar as regras do Apartamento de Reinserção;
– Estar a trabalhar ou, em processo de reinserção sócio profissional;
– Manter-se abstinente de todas as substâncias alteradoras do humor.

O projeto de cada utente no Apartamento de Reinserção tem uma duração de seis meses. O período de permanência poderá ultrapassar os seis meses, se a equipa técnica considerar que estão reunidas condições que o justifiquem.
O Apartamento de Reinserção tem um protocolo com a Segurança Social e caso a admissão seja em cama convencionada, o prolongamento da estadia dependerá da autorização desta instituição.

Atividade Terapêutica

Os residentes do apartamento de reinserção terão obrigatoriamente de efetuar uma terapia individual com periodicidade não inferior a uma vez por mês e, quinzenalmente participar no grupo terapêutico do Apartamento de Reinserção que se realiza ao sábado de manhã.
Semanalmente, será efetuada uma reunião de gestão da casa, facilitada por um Técnico, de frequência obrigatória.

Reinserção

Os pacientes contam, na fase final do seu tratamento, com a orientação e apoio técnico na procura de soluções para a sua reinserção na vida profissional. Esta estrutura de reinserção conta com o apoio do Instituto de Emprego e Formação Profissional e articula com outras estruturas vocacionadas para esta problemática.

Este apoio é prestado por um técnico especializado, englobando entre outros a informação sobre ofertas de formação e emprego, técnicas de procura de emprego, aconselhamento vocacional e articulação com outros problemas, nomeadamente programas estatais de apoio à reinserção de aditos.

Esta intervenção tem como objetivo a autonomização crescente do paciente, com vista à sua plena integração na vida ativa.

Atividades:

– Atendimento personalizado – orientação na óptica da doença (adição);
– Informação e orientação escolar e profissional;
– Workshops de formação em “técnicas de procura de emprego”;
– Divulgação de ofertas de formação, estágio e emprego;
– Inserção em voluntariado, formação profissional, estágio, emprego, etc.
– Articulação com outros programas e entidades (centro de emprego, entidades formadoras, entidades empregadoras, GIP’s e outras entidades locais);
– Promover a criação do próprio emprego.

“Aqui deram-me novamente a vontade de fazer, acreditar, desafiar-me e começar a pensar que seria possível voltar a conseguir dar-me com a família, ter amigos e sentir-me nem mais nem menos que as outras pessoas. Resta-me agradecer ao Farol por tudo, não só pela ajuda que me deu, mas a que deu e continua a dar ao adito que sofre e às suas famílias.”

Uma vida recuperada no Farol 05/09/2017

Parceiros